Mayhem: Entrevista com Euronymous uma semana antes de seu assassinato.

Através da revista Obscura Arte edição #10 publicada pela Evil Horde Records and Distribution, a The Metal Word irá compartilha a ultima entrevista com EURONYMOUS (The True Mayhem) uma semana antes da sua morte, onde foi assassinado no dia 10 de agosto de 1993. Confira logo abaixo:

2bb64f

Você acabou de abrir uma loja de Black metal. Helvete, como estão indo as coisas?

Euronymous: Nós começamos com a Helvete porque é exatamente o tipo de loja na qual eu gostaria de comprar CDs, e só tínhamos umas poucas lojas ruins vendendo Death Metal e Disco. Há alguns meses atrás  nós tivemos que fechá-la por causa do assédio dos jornalistas depois da prisão do Count Grishnackh  do Burzum, Mas vamos reabri-la em breve em outro local.

Que tipo de musica uma banda tem que tocar para assinar um contrato com a Deathlike Silence Productions?

Euronymous: Eu assino apenas com as melhores bandas do mundo, na minha opinião. Nunca vou contratar uma banda que exista apenas por causa de uma moda. Todas as bandas da Deathlike Silence Productions serão especiais. A maioria dos selos apenas distribui um monte de “merda” produzida para as massas, mas ficaremos acima disso tudo. Quando as pessoas comprarem um lançamento da Deathlike Silence Productions elas saberão que estão comprando uma obra única de obscuridade e qualidade, apenas com bandas que acreditam 100% no que escrevem.

Foi você quem achou o corpo morto do Dead. Como você se sentiu ao ver o cadáver do seu amigo?

Euronymous:  Não estou nesse negocio por divertimento. Então é claro que não fiquei apavorado. Não é todo dia que você tem a chance de ver e tocar num cadáver de verdade. E é importante aprender uma coisa quando você está lidando com o lado negro: não ah nada que seja doentio, maligno ou pervertido demais.

Você costumava dizer que o Dead estava aborrecido com todos os falsos “Black metallers” e modistas do mundo, então ele resolveu acabar com sua vida na terra. Você poderia falar mais sobre isso?

Euronymous: Dead queria fazer musica maligna para pessoas malignas, mas as únicas pessoas que ele via estavam andando por ai de moletom e tênis, falando de paz e amor. Ele odiava tanto e não viu nenhuma razão em perde tempo com elas.

Qual foi a principal razão para relançar o clássico mini LP “Deathcrush” pela Deathlike Silence Productions?

Euronymous: Nós decidimos lançá-lo para dar ás pessoas algo enquanto esperam pelo álbum e porque ainda havia muita gente que não tinha o original. Eu pensei, porque não disponibilizá-lo  para aqueles que ainda o queriam? Alguns dizem que é ruim disponibilizá-lo novamente porque antes apenas os verdadeiros fãs antigos o tinham e agora os modistas vão comprá-lo. Mas o fato é que havia apenas 40 pessoas que tinham o original e o mereciam, o resto era um bando de idiotas. Havia muito mais pessoas “verdadeiras” (como eu odeio essa palavra!) que não o tinham e eu apenas achei que era a coisa certa a fazer. Ainda gosto muito desse álbum, mas nosso material novo está tão diferente! Eu nunca poderia fazer um novo “Deathcrush”, nem se eu tentasse.

Mayhem, Burzum e algumas outras bandas norueguesas de Black Metal tiveram problemas com uma banda de Black Metal finlandesa, e até mesmo ameaças de morte foram enviadas…

Euronymous: Eu nunca mandei nenhuma ameaça de morte ao impaled Nazarene como dizem os boatos, mas alguém fez isso no meu nome. Eu acertei as coisas com eles e não tenho nada contra esta banda ou qualquer outra banda finlandesa. Não gosto muito da musica das bandas finlandesas e acho que há muito caos e elementos “grind” nela. Eu prefiro atmosferas e melodias. Não tenho nenhum problema em matar alguém a sangue frio . Isso já aconteceu, más não vou falar mais sobre isso, por razões óbvias.

Euronymous, você poderia explicar aqui suas profundas crenças espirituais?

Euronymous:  Eu acredito em um demônio chifrudo, uma personificação de Satã. Na minha opinião todas as outras formas de satanismo são besteiras. Eu odeio as pessoas pensem em formas idiotas de fazer a paz eterna no mundo e ousem chamar isso de satanismo, como muitos fazem. O satanismo vem da cristandade religiosa e lá deve ficar. Eu sou uma pessoa religiosa e vou lutar contra os que usarem seu nome em vão. As pessoas não devem acreditar em si mesmas e ser individualistas. Elas devem obedecer, ser escravas da religião.

Quando se ouve as composições do Mayhem, pode-se perceber claramente as influências de bandas como Bathory e Hellhammer. Você acha que o Mayhem teria sido criado se não existissem estas cultuadas bandas?

Euronymous: É muito difícil dizer. Eu gostaria de pensar que nós teríamos sido a primeira banda maligna se as bandas mais antigas não existissem, mas eu não sei. Venom foi nossa primeira e maior influência, mais tarde veio o Bathory, Hellhammer, Sodom e Destruction, eles nos inspiraram a chegarmos onde estamos hoje. Tenho certeza que soaríamos bem diferentes. Trata-se de Venom e Bathory, Hellhammer e as antigas bandas malignas, mas ninguém mencionou Sodom e Destruction. Eles surgiram na mesma época que o Bathory e Hellhammer e seus primeiros álbuns são obras-primas do metal negro e desprezível. Ninguém consegue fazer musicas assim agora. Tantos copiam Bathory, mas nunca vi ninguém copiar Destruction exceto o Necromicon. Alguns desses velhos deuses se venderam, mas enquanto eu viver, o Mayhem não será uma banda “modista”. Podemos mudar algumas coisas, mas a escuridão estará sempre lá...

Você é de opinião que o Black Metal deve se manter sempre “underground”?

Euronymous: Eu pensava assim antes, mas mudei de idéia. A idéia de “underground”, de vender álbum apenas para pessoas “reais”, não ganhar dinheiro, não achar que você é melhor que seus fãs e assim por diante, tudo vem do “hardcore”. E como diabos podemos saber quem é “real” e quem não é, quando a maioria das pessoas que se denomina “real” não passa de idiotas normais?  Bandas originais de Black Metal como o Venom nunca tiveram que estar no “underground” para serem aceitas, então por que nós teríamos? O “underground” é apenas um meio de nos rebaixar e nos controlar de uma desculpa ruim para as bandas ruins serem igualadas as bandas boas. Aqueles que mais chamam serem “underground” são geralmente aqueles que fazem música tão ruim quanto que nunca terão a chance de se tornarem tão grandes. Eu acho que se podemos ter um grande movimento crescendo com centenas  de brutais soldados espalhando tristeza, morte e maldade no mundo. Quanto as pessoas para o nosso modo de pensar.

euronymous_05

…E estas foram as últimas palavras daquele visionário que poderia ter mudado o rumo do atual Black Metal, mas que pela inveja e covardia acabou sendo assassinado pelas mãos daqueles que ele julgava seu amigo. Que valha a lição, o inimigo já caminha entre nós, diz gostar das mesmas coisas, ter os mesmos objetivos, etc… Mas no fundo ele apenas espera uma chance de nos apunhalar pelas costas, portanto abram seus olhos. (Agathodemon)

Fonte: Revista Obscura Arte #10 (Evil Horde Records and Distribution)

Anúncios

4 comentários sobre “Mayhem: Entrevista com Euronymous uma semana antes de seu assassinato.

  1. Curti (em partes). Achei muito escroto o trecho que diz: – Eu sou uma pessoa religiosa e vou lutar contra os que usarem seu nome em vão. As pessoas não devem acreditar em si mesmas e ser individualistas. Elas devem obedecer, ser escravas da religião. – Isso para mim é uma maneira bem idiota de se encarar a vida. Uma pessoa não precisa de religião para ser feliz ou obter sucesso. Sou a favor da liberdade de pensamento e não de uma prisão (doutrina) seja lá de qual religião for!

    Curtir

  2. Eu concordo com tudo, mesmo eu nao sendo satanista. Nao sou ateu, mas sou influenciado pela filosofia de Platao. Euronymous eh o vazio emocional, a morte dos sentimentos. Euronymous eh como se fosse uma forma artistica de redençao, mas nao to falando de cristianismo aqui, em vez de dogmas religiosos limitantes falo de uma visao artistica do mundo, a qual destroi toda fraqueza, sentimentos, eu chego a me arriscar a dizer que eh uma forma de superego artistico, pois a razao do sofrimento humano sao em parte, os sentimentos, as tristezas, as decepcoes e em Euronymous nao ha isso, apenas ha algo aspero, cru, algo odioso, extremo, como se fosse chutar o balde pra tudo e sair queimando igrejas em pura alegria. Creio que headbangers podem ter sentido isso quando começaram a ouvir Metal, sentiram um vazio muito grande e resolveram chutar o balde pra tudo que foi ensinado como moralmente certo, pois esse moralmente certo gera tristeza, angustia, e nas palavras de Euronymous esta a morte de todas as angustias. Euronymous se sentiu culpado por encourajar o Dead a se matar e em vez de encontrar o vazio niilista da depressao resolver afirmar sua vontade de poder na Arte, ou uma redençao pela arte. O extremo terrorismo anti cristao da Mafia Black metal foi uma consequencia de uma negaçao de sentimentos atraves da arte obscura. Em vez de budismo e derrotismo de schopenhauer, a melhor redençao eh atraves do que Euronymous propos.

    Curtir

  3. acho ótimo o Euronymous ser odiado e visto como lixo. Por isso ele é minha inspiração, Ate porque esse mundo é um lixo e a humanidade é um lixo, quem quer ser normalzinho precisa vencer na vida e ser aceito pelos outros, por isso sao depressivos. choram, sao sentimentais, romanticos. Ja em EURONYMOUS em seu satanismo bíblico está a morte de todo os sentimentos, só há escuridão, ódio, redenção, VAZIO. Eu apoio sim o satanismo bíblico de Euronymous, pois ele mesmo explicou que é um satanismo que representa a morte de toda vida e criação, parecido com correntes gnosticas, anti-cosmica, mas Euronymous é superior a essas correntes, pois essas correntes gnosticas costumam ser romanticas, e o satanismo em geral tende a acreditar nessas merdas de humanidade, evolução, progresso. Tudo isso é sentimentalismo barato, tao barato quanto querer ser normal igual pessoas normais. Euronymous é meu ídolo, não preciso ser ”eu mesmo”, foda-se a individualidade, quero só ser um com a escuridão que se opõe a esse mundo. quero a destruição de tudo, quero a morte de tudo. e principalmente a morte das fraquezas, dos sentimentos, e pra matar os sentimentos só desejando a morte dos humanos, nao se reproduzindo, nao tenho ideal de vencer na vida. O mundo ja está morto, e iludidos são os que odeiam as palavras do Euronymous.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s