O The Metal World Teve a grande oportunidade  de estar entrevistando a banda mineira de Power/Folk Metal Lothlöryen. Confira a entrevista abaixo: 

TMW:Lothloryen - Capa FINAL (2) Em primeiro lugar gostaria de agradecer a disponibilidade da banda e parabeniza-los pelo novo disco. A temática que a banda aborda é fantástica, a obra de Tolkien é bastante abrangente. Qual a relação da banda com Tolkien? Até que ponto chega sua influência?

Lothlöryen: Primeiramente, agradecemos o valioso espaço que o The Metal World nos concedeu para falarmos um pouco sobre nosso trabalho. Sobre a influência de Tolkien, ela foi muito importante nos nossos primeiros álbuns. Apesar de não ser uma referência original, em se tratando de bandas de Rock e Metal, ela nos ajudou a criar os alicerces da essência do que é o Lothlöryen hoje. Porém, trazendo para os dias atuais, o Lothlöryen já não faz referências a Tolkien desde o “Raving Souls Society”, álbum de 2012.

TMW: Fazer metal no Brasil não é uma tarefa fácil, acredito de Folk/Power Metal torna-se ainda mais complicado, pois o folk passou a ser difundido no Brasil a poucos anos. Ate hoje, qual a maior dificuldade enfrentada pela banda?

Lothlöryen: A dificuldade está muitas vezes ligada ao amadorismo que ainda ronda a cena em geral, principalmente no que tange à organização de eventos. Ainda paira sobre a mente de muitos organizadores no Brasil a ideia de que basta “amontoar” um tanto de bandas em um mesmo local e o evento será um sucesso, o que temos visto com os próprios olhos que não é o correto. Existe também uma ideia errônea de que contratando uma banda como headliner, a divulgação e responsabilidade pelo público do evento são de inteira responsabilidade da banda, o que, em minha opinião, é uma transferência de responsabilidades injusta e equivocada. Quanto à cena folk, eu já vejo de outra forma: talvez hoje seja o grande exemplo para a cena em geral. Cada vez mais tenho presenciado e também participado de eventos com essa temática que são um sucesso e atraem público não somente pelas bandas, mas por saberem agregar elementos diversos da cultura medieval nos eventos. Talvez falte mais isso no Underground: uma abrangência maior do que pode ser oferecido para o público em cada segmento.

TMW:  Com a visibilidade adquirida, vocês tiveram a oportunidade de abrir shows do Symphony X. Qual a importância disso para a banda?

Lothlöryen: Ao longo dos anos, temos tido oportunidades incríveis para tocar ao lado de nossos ídolos. O show com o Symphony X, em 2009 foi um primeiro passo inesquecível até hoje. Depois desse, a banda já tocou ao lado de bandas como Korpiklaani (Finlândia), Arkona (Rússia), Samael (Suíça), Grave (Suécia), Sepultura e Angra e recentemente tivemos a honra de abrir o show do Gamma Ray (Alemanha), em BH. A importância disso tudo é que ganhamos experiência percebendo mais de perto como bandas maiores e profissionais trabalham em seus shows. É sempre um aprendizado.

clipe Lothloryen - Night is Calling

TMW: Muitos definem o som do Lothloryen como uma mescla de Elvenking e Blind Guardian. A banda considera essa definição correta? Como vocês se auto definem?

Leko Soares: Quanto ao Blind Guardian, a referência é correta. Quanto ao Elvenking, confesso que a primeira vez que li sobre essa comparação fiquei meio chocado, pois sequer conhecia a banda. Após isso fui procurar ouvir e sinceramente, nem é um som que me agrada ou aos outros caras da banda. Talvez a comparação esteja relacionada à tessitura vocal do nosso primeiro vocalista (Leo Oliveira) e o vocalista deles. Acredito, porém, que o Lothlöryen hoje vai bem além de uma única referência. No nosso último álbum, por exemplo, é possível encontrar nitidamente elementos de Folk, Power Metal, Prog Setentista e atual, Hard Rock, Death Metal Melódico, além de música pop e música moderna, em geral. Posto isso, e ainda que soe pretencioso demais, acredito que a melhor definição para o nosso som hoje seria “Lothlöryen Metal”, rs

TMW: No ano passado a banda lançou o álbum “Principles Of A Past Tomorrow” quem vem tendo críticas bastante positivas. Qual mensagem a banda quer passar com o disco? E o titulo, qual o sentido dele?

Lothlöryen: A mensagem é de liberdade, em todos os sentidos. Giordano Bruno, personagem histórico que abordamos no álbum, morreu para manter livres as suas convicções, que séculos mais tarde se mostraram tão acertadas e influentes. Além disso, o leque de temas e estudos que permeiam a vida e obra de Giordano serve como lição para também buscarmos o livre pensar e agir em várias áreas e momentos. Por fim, a diversidade e complexidade do tema, nos permitiu ter essa liberdade pregada por Bruno representada na própria musicalidade do álbum. Sobre o título, o sentido dele é de que os princípios herméticos estudados por Giordano e a partir daí, os princípios propostos por ele, são chaves do passado importantes para que entendamos e nos guiamos em direção ao futuro, seja cientifica ou filosoficamente.

TMW: A banda já cresceu muito na cena nacional e tende a crescer muito mais. Quais os planos futuros da banda?

Lothlöryen: Nosso principal plano é alcançarmos 100% de autonomia em relação aos nossos negócios. Ano passado, demos um primeiro e importante passo, conseguindo vender 15 mil reais antecipados em merchandising, dinheiro que foi utilizado para a finalização e prensagem do “Principles” de forma independente. Após isso, temos investido na nossa própria marca de confecção de camisetas e de Hidromel e agora, provavelmente, o próximo passo será a criação de nossa própria agência de shows que abrangerá a organização de eventos e cuidará da agenda da banda no Brasil.

TMW: Para finalizar, qual o conselho que dão para músicos iniciantes?

Lothlöryen: Não esperem cair as coisas do céu. Não existe mais o cara mágico que, de repente, vai ouvir seu som em um boteco qualquer e vai por ficha na sua banda porque acredita no potencial dela. O tempo é precioso: se organizem, tracem objetivos e metas para atingi-los. Tentem encurtar o período de amadorismo. Faça sempre shows bons, seja para 10 ou para 1000 pessoas. Proponha algo diferente do que já existe no mercado. Somente assim a banda não se perderá em meio a tantas outras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s