Resenha: The Violent Sleep of Reason – Meshuggah (2016)

ImagemEsses suecos do Meshuggah me conquistaram. É impossível definir um estilo ou rotula-los, um som único com o peso e a progressividade estão em harmonia perfeita, arrisco dizer que é uma mescla de Dream Theater e Lamb Of God com acordes dissonantes, as minhas duas bandas favoritas, então fica mais que claro o porquê de tamanha perfeição sonora.

“The Violent Sleep of Reason” abre com “Clockworks”, a faixa mais longa do álbum. Em outros casos eu diria que colocar a faixa mais longa como abertura seria um erro, mas este é mais um acerto do Meshuggah, mesmo longa, ela não é cansativa e representa bem o disco todo, peso e progressividade, e sempre com um vocal impecável e equilibrado, dosando seus limites.

Com um groove e um peso único “Born in Dissonance” é eleita a melhor música do disco. Gosto muita da envolvência que essa faixa trás, ela prende a cada segundo, com uma qualidade instrumental enorme cheia de surpresas e cadencia. “Monstro City” é outra que merece destaque positivo, com uma intro potente e clara onde o brilho maior é para o baterista. A faixa que dá nome ao álbum inicia um riff marcante, seguido por um vocal envolvente e pesado. “Into Decay” encerra os trabalhos com maestria, contida em momentos certos, mas com explosões de peso e talento. Uma ótima faixa de encerramento.

O que mais me chama a atenção neste álbum é como uma banda que saiu do anonimato a tão pouco tempo consegue apresentar um trabalho de extrema qualidade, onde apresenta o peso e a progressividade em plena harmonia sonora, um trabalho digno de banda que já estão na elite do metal à tempos. Uma bateria pesada, técnica e impecável, linhas de baixo que bailam por entre bumbos e riffs… Ah e os riffs! Estes conseguem prender a audição e encaixam-se perfeitamente, sem deixar que clichês os possuam. Não se pode deixar de falar do vocal, um gutural intenso e limpo. Que possamos desfrutar de muitos álbuns com esta qualidade!

NOTA: 9,5

Meshuggah* pra vocês!

*Vem do hebraico ‘loucura’.

Track List

1. Clockworks
2. Born in Dissonance
3. MonstroCity
4. By the Ton
5. Violent Sleep of Reason
6. Ivory Tower
7. Stifled
8. Nostrum
9. Our Rage Wont Die
10. Into Decay

Resultado de imagem para Meshuggah 2016

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s