Pé da Letra: Metallica- Sad But True

Sad But True” é uma popular canção da banda Metallica, sendo o quinto single do álbum Metallica ou Black Álbum, como é popularmente conhecido, lançado no ano de 1992.  Muitos acreditam que a partir do Black álbum o Metallica deixou de ser Thrash Metal e passou a tocar um “pop comercial”, entretanto, não somente “Sad But True” mas quase todas as faixas deste disco seguem a linhagem do Thrash, inclusive em suas letras. A letra composta por Heatfield e Ulrich deixa sua mensagem de modo extremamente sútil, isto é, você só entenderá o significado de “Sad But True” no último verso.

Logo na primeira estrofe a faixa causa impacto: “Ei, eu sou sua vida, eu sou o único que te conduz até lá; ei, eu sou sua vida, sou o único que se importa; eles, eles traem, Eu sou seu único amigo verdadeiro agora; eles, eles vão trair, eu estou sempre lá”. A música é bastante vaga, não se sabe ao certo quem são “eles” ou quem o eu lírico é, mas sabe-se que estão se referindo a você, ou seja, ao ouvinte da música, indicando que você está sozinho e que o eu lírico é seu amigo e é quem sempre estará ao seu lado.

O refrão é tão vago quanto a primeira estrofe: “Eu sou seu sonho, se faça real; eu sou seus olhos quando você deve roubar; eu sou sua dor quando você não pode sentir; triste mas verdade!; eu sou seu sonho, pensamento perdido; eu sou seus olhos quando você esta longe; eu sou sua dor enquanto você retribui; você sabe é triste mas verdade; triste mas verdade!”.  O eu lírico é sua única salvação, é quem te guia nas dificuldades, é quem te ajuda quando for preciso, mas é somente ele que o faz, e você tem consciência disso, e sabe também que embora isso seja triste é a mais pura verdade.


A música segue: “Você, é minha máscara, você é minha proteção, meu abrigo; você é minha máscara, você é o único que é culpado; faça, faça meu trabalho, meu trabalho sujo, bode expiatório; faça, faça minhas necessidades; pois você é o único que está envergonhado”. Agora a canção reverte a situação, antes sua única salvação era o eu lírico, e ele deixava isso bastante claro, agora você também é um meio de fuga dele, como ele diz você é a máscara dele, onde ele pode se esconder e ainda lhe ordena para que faça o trabalho dele e suas necessidades, pois você é seu bode expiatório.

Quando já se aproxima do fim, “Sad But True” ainda não esclarece nada: “Eu sou seu sonho; eu sou seus olhos; eu sou sua dor; eu sou seu sonho (Eu sou seu sonho); eu sou seus olhos (Eu sou seus olhos); eu sou sua dor (Eu sou sua dor; você sabe é triste mas verdade; ódio, eu sou seu ódio, sou seu ódio quando você quer amor; pague, pague o preço, pague, pois nada é honesto; ei, eu sou sua vida, eu sou o único que te conduziu até lá; ei, eu sou sua vida, e eu não me importo mais”. Neste trecho o eu lírico volta a  dizer que ele é tudo que lhe resta.

E a tão aguardada última estrofe chega: ”Eu sou seu sonho, se faça real; eu sou seus olhos quando você deve roubar; eu sou sua dor quando você não pode sentir triste mas verdade!; eu sou sua verdade, dizendo mentiras; eu sou sua razão, álibis; eu estou dentro abra seus olhos; eu sou você!; triste mas verdade!”. “Eu sou você”, a frase que esclarece tudo, “você” e o eu lírico são a mesma pessoa, sendo assim, você é seu único amigo, só pode confiar em si mesmo, se obter sucesso é graças a você e fracassar também, você é o seu ponto de fuga, ninguém vai fazer seu trabalho ou suas tarefas, ninguém irá te aparar a não ser você mesmo, sim, isso é triste, mas é verdade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s