Mais uma lenda se vai… R.I.P. David Bowie

A morte de David Bowie foi anunciada através de sua página oficial no Facebook. O Camaleão do Rock, como era conhecido, lutava a um ano e meio contra um câncer. Conhecido mundialmente pelos clássicos “The man who sold the world” , “Space Oddity”  e muitos outros, David havia lançado no dia 8 de janeiro um novo álbum intitulado  “Blackstar”, vale a pena lembrar também, que na data do lançamento do disco Bowie completava 69 anos de idade.

Na internet, muitos astros manifestaram o seu pesar. Veja:

“Adoro como Bowie mudou a percepção das pessoas dos estereótipos sobre os gêneros e o quão verdadeiramente inovador ele foi. Sempre esteve sempre TÃO a frente do seu tempo.”  (Adam Lambert)

“Então hoje perdi outro herói. Não tanto quanto Lemmy, mas uma influência importante em minha vida, estilo e carreira. Adeus David Bowie, descanse em paz.” (Dee Snider)


 

NOTA DA AUTORA: Está amanhã acordei com uma triste notícia, assim como Lemmy, mais uma lenda havia nos deixado. Conheci o trabalho de David Bowie a certa de 4 anos, na mesma época que me tornei fã de Nirvana, aparentemente Bowie e Nirvana não possuem praticamente nada em comum, mas durante o Unplugged do Nirvana para a MTV em 1994, a banda fez um cover de “The man who sold the world”, essa faixa me chamou muito a atenção, e como não era do repertório do Nirvana, fui pesquisar sobre “o tal cantor original” da faixa, e esse “tal cantor” era David Bowie, desde então comecei a me interessar pela sua música e consequentemente me tornei fã.

O que é ser fã?  Será que é somente conhecer todos os detalhes da carreira e vida intima do músico?  Ou colecionar todos os discos lançados? Bom, para mim, ser fã vai além disso, acredito que um fã verdadeiro deva entender a mensagem que seu ídolo passa, e talvez a maior mensagem passada por Bowie ao longos de tantos e tantos anos de carreira seja a autenticidade, ele vestia-se, maquiava-se como bem entendia, era autentico, e não deixava-se levar pelo o que os outros pensavam ou poderiam vir a pensar dele, certamente levarei isso para minha vida, assim como muitos levarão, pois enquanto houver autênticos e irreverentes no mundo o legado de Bowie permanecerá mais vivo do que nunca.

“A verdade, claro, é que não existe jornada. Nós estamos chegando e partindo ao mesmo tempo.”
(David Bowie)

DAVID BOWIE AT THE CANNES FILM FESTIVAL - 1983

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s